Saiba o que é a blefarite e que cuidados deve ter para controlar a doença

A doença é comum e gera irritação nas pálpebras e nos olhos

Na correria do dia a dia muitas pessoas acabam esquecendo de cuidados básicos com os olhos, o que pode resultar em vermelhidão, pálpebras inchadas, sensibilidade a luz e lacrimejamento. Esses sintomas podem indicar a blefarite, uma inflamação que afeta diretamente as pálpebras.

Dra. Patrícia Martins
Dra. Patrícia Martins

Outros sintomas também estão relacionados ao problema, são eles: coceira excessiva, queda de cílios, olho seco e irritação ocular. A oftalmologista Patrícia Martins, conta que a inflamação é recorrente e pode acontecer em ambos os sexos e em todas as idades. “A doença está relacionada com a colonização de bactérias da flora normal da pele. Esta colonização é exacerbada quando há aumento de oleosidade nas pálpebras, devido à disfunção das glândulas de meibomius e zeiss, produtoras da camada lipídica do filme lacrimal”, explica Dra. Patrícia Martins.

A médica afirma que dependendo do tipo de glândulas, a blefarite pode ser anterior ou posterior. “A anterior ocorre na borda frontal da pálpebra, onde os cílios se ligam.  Na posterior, afeta a parte interior da pálpebra, que entra em contato com o globo ocular” explica a oftalmologista.

A blefarite não tem cura, mas existem medidas que podem amenizar os sintomas. Segundo a especialista é importante que as pessoas lavem bem os olhos e as pálpebras algumas vezes ao dia. Aplicar água morna e evitar o uso exagerado de produtos que causam irritação nos olhos, como maquiagem; também contribuem no tratamento.

Ela ressalta que as pessoas que apresentarem esses sintomas devem procurar um especialista. “Somente o médico pode diagnosticar a doença e passar o tratamento adequado para cada paciente, que pode ser realizado com compressas mornas para a remoção das crostas e oleosidade, ou pomadas e antibióticos”, finaliza.

Mais lidas nesse momento