Ex-policial envolvido na morte de Emilly irá para presídio comum

Informação foi confirmada pela Polícia Militar a qual afirma que não há prazo para a execução da transferência

A Polícia Militar só está aguardando uma ordem judicial para transferir o ex-policial Aldo Barbosa Dornel, acusado de matar a menina Emilly Caetano durante uma ação desastrosa na noite do dia 26 de dezembro do ano passado, para um presídio comum. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da Polícia Militar do Piauí.

Família de Emily Caetano (Foto:Reprodução Facebook)
Família de Emily Caetano (Foto:Reprodução Facebook)

A assessora da PM, tenente-coronel Elza Oliveira, diz que não há prazo para a execução da transferência, mas adianta que o comando-geral da Polícia Militar já notificou a Central de Flagrantes de Teresina.

“O comandante-geral [Carlos Augusto] já notificou a Central de Flagrantes, através do juiz responsável, e estamos esperando só a determinação dele. Na hora que ele mandar, a transferência será executado”.

Dornel e o outro militar acusado de participar da ação que acabou tirando a vida de Emilly, Francisco Venício Alves, se encontram no presídio militar. Um decreto assinado pelo governador Wellington Dias na tarde desta quinta-feira (11), revogou liminar que mantinha Dornel no quadro da PM. Com a revogação, ele não poderá mais permanecer sob custódia da Polícia Militar.

Entenda o caso

Emilly Caetano da Costa foi morta durante uma abordagem policial na Avenida João XXIII, zona leste de Teresina, na madrugada de terça-feira (26/12). A menina, de apenas nove anos, chegou a ser socorrida, mas faleceu pouco tempo depois.

Os pais da criança Evandro da Silva Costa e Daiane Caetano também foram atingidos de raspão. De acordo com a coronel Elza Rodrigues, a viatura da Polícia Militar recebeu uma denúncia de que uma dupla em um veículo Renault modelo Clio havia praticado um assalto.

“A viatura estava em rondas na avenida quando recebeu a denúncia e viu o veículo suspeito, deu ordem de parar e o mesmo aumentou a velocidade. Com isso, os policiais efetuaram disparos contra o carro e acabou atingindo os ocupantes”, disse a coronel.

Emilly Caetano da Costa teve a costela e o tórax perfurados pelos disparos de arma de fogo. A menina faleceu no Hospital de Urgências de Teresina (HUT), às 05h45min. Daiane Caetano foi socorrida e já recebeu alta. O pai da criança Evandro da Silva Costa segue em observação no HUT.

Os policiais envolvidos foram autuados e encaminhados para o presídio militar.

Mais lidas nesse momento