MP do Rio reabre processo contra nadador americano Ryan Lochte

Lochte relatou que ele e mais três companheiros de equipe haviam sofrido um assalto no caminho para a Vila Olímpica, no dia 14 de agosto de 2016

A novela envolvendo o nadador dos Estados Unidos Ryan Lochte e a Justiça brasileira ainda não acabou. O Ministério Público do Rio de Janeiro reabriu nesta sexta-feira (11) o caso no qual o esportista foi denunciado por mentir ao dizer que sofreu um assalto enquanto estava na cidade competindo nas Olimpíadas, em 2016. O nadador responde por falsa comunicação de crime. As informações são do G1.

Lochte deu uma entrevista a um canal dos Estados Unidos relatando que ele e mais três companheiros de equipe haviam sofrido um assalto - o que era mentira (Foto: Divulgação)
Lochte deu uma entrevista a um canal dos Estados Unidos relatando que ele e mais três companheiros de equipe haviam sofrido um assalto - o que era mentira (Foto: Divulgação)

Lochte deu uma entrevista a um canal dos Estados Unidos relatando que ele e mais três companheiros de equipe haviam sofrido um assalto no caminho para a Vila Olímpica, no dia 14 de agosto de 2016. Ainda na época, ele relatou que os criminosos estavam vestidos de policiais e apontaram armas para os dois. 

Porém, todos foram flagrados por câmeras de seguranças de um posto de gasolina. Visivelmente embriagados, os atletas vandalizaram o local e brigaram com funcionários. 

Os advogados do nadador conseguiram um habeas corpus para que ele não pagasse a multa imposta, R$ 70 mil em cestas básicas, alegando que o assalto não foi comunicado à polícia e, por esse motivo, não pode ser constatado um crime.  Agora, o MP conseguiu reverter a decisão e pede que Lochte seja responsabilizado criminalmente. 

 

Mais lidas nesse momento