Zagueiro "gigante" de 2,04m marca e dá passe para vitória de time da Série B1 do RJ

Aos 36 anos, Fabão é decisivo no triunfo de 2 a 1 do Itaboraí sobre o Serra Macaense no Estádio Moacyrzão e brinca com altura dos companheiros: "Parecem crianças perto de mim (risos)"

Marcado por casos inusitados e até mesmo por fatos bizarros, o arquivo de histórias curiosas da Série B1 do Campeonato Carioca ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira, na vitória por 2 a 1 do Itaboraí, fora de casa, sobre o Serra Macaense, pela sexta rodada da Taça Santos Dumont. O Azulão estava sendo derrotado por 1 a 0 pelo time de Macaé no estádio Moacyrzão, até os 10 minutos do segundo tempo - o gol foi marcado por Elton, de pênalti, na etapa inicial. Eis, então, que surge um herói improvável para a partida: o zagueiro Fabão. Do alto dos seus 2 metros e 4 centímetros de altura, o defensor "gigante" mudou seu posicionamento na geografia do gramado para se aventurar no ataque e foi determinante na reação dos visitantes com um gol e uma assistência.
 



Mas engana-se quem pensa que, por conta do tamanho do "gigante" do Itaboraí, o gol foi marcado de cabeça. Como manda o figurino de um "atacante oportunista", o "zagueirão" surgiu atrás da defesa do Serra Macaense para mandar a bola para as redes com os pés - o calçado, tamanho 48, claro, ajudou. Com a igualdade no marcador, aí, sim, o defensor se fez valer da sua estatura. Dividiu a bola com dois marcadores no alto, na entrada da área, e escorou de cabeça para o atacante Edu virar a partida e garantir a vitória do Azulão, aos 24 minutos da segunda etapa (os gols podem ser vistos no vídeo acima).
 
Muito brincalhão e sem esconder a felicidade pelo feito, Fabão, que no currículo acumula passagens por America-RJ, Vasco, Ituano, Angra dos Reis, Linense e fez carreira na Ásia, onde atuou por nove anos, conversou com o GloboEsporte.com nesta sexta-feira. O "zagueirão', que afirma não ter conhecimento sobre nenhum jogador tão alto no país, falou sobre como é ver todos os adversários de "cima". Confira a entrevista abaixo.
 

Alegria em alta
 
- Fico feliz de poder ter ajudado a equipe com o gol e com o passe. Mas o mérito é todo do time. Graças a Deus pude dar essa contribuição. Era um jogo difícil, mas nosso grupo é forte, é qualificado e, graças a Deus, tive a felicidade de poder ajudar. Mas o mais importante são os três pontos.

Diferença para os companheiros
 
- É engraçado, né? Eles parecem crianças perto de mim. Parece que estou jogando com o time juvenil (risos). Mas levamos na boa. Também dou risadas com isso.

Grandalhão da paz
 
- Eu sou grande, mas sou tranquilo. Não sou de briga. Eu acredito que eles (adversários) quando me olham de longe, ficam "cabreiros", preocupados. Mas quando me conhecem, podem ver que sou tranquilo, da paz. E até mesmo se eu for brigar com os "meninos", eu estou enrolado (risos).

Calçado importado
 
- Rapaz, eu calço 48. Tenho que pedir as chuteiras dos Estados Unidos para jogar. Aqui no Brasil eu não encontro. É difícil. Mas já estou acostumado.

A carreira
 
- Eu surgi no America, mas depois fui para o Vasco. Mas fiz a carreira no Mundo Árabe. Fiquei lá durante nove anos. Tive uma experiência muito boa lá. Mas, como sou de Itaboraí, aceitei o convite para jogar no time da minha cidade. Voltei tem uns dois anos para cá para esse fim de carreira.

Todos são baixinhos
 
- Cara, eu nunca vi ninguém do meu tamanho jogando nem ninguém perto da minha altura. Estou acostumado a olhar para baixo mesmo (risos). Mas acho que no dia que encontrar alguém do meu tamanho, eu que vou estranhar. Vai ser bem estranho.
 

Susto dos árabes
 
- Quando eu cheguei lá no "Mundo Árabe", eles estranhavam muito minha altura. Me perguntavam como eu conseguia correr, jogar bola. Mas eu explicava que era normal, tranquilo. A barreira da língua também pesou, mas depois foi tudo se acertando.
Com a vitória, o Itaboraí passou a respirar melhor na competição e se afastou da parte de baixo da tabela do Grupo A da Segundona do Rio, indo para a quinta colocação, com oito pontos. O time está de folga na próxima rodada e volta a entrar em campo na próxima quarta-feira, para enfrentar o America-RJ fora de casa.

Mais lidas nesse momento