Confira os benefícios do Sexo Tântrico na vida a dois

Casais aliam terapia e massagem em busca do prazer

Olááá pessoas!

Desculpa o sumiço gente, mas, é que como vocês sabem, começo de ano a correria é grande! Mal dá tempo de fazer o que a gente gosta.

Falando nisso, tava lendo um dia desses que uma queixa bem recorrente entre alguns casais (principalmente CASADOS) é a questão de cair na rotina. Eles acabam fazendo sexo com pouca frequência e fora isso ainda tem a questão de que muitos ainda não conseguem alcançar o orgasmo junto com o (a) parceiro (a).  

Casais: se comuniquem!
Casais: se comuniquem!

Tem gente que cai na besteira de sentar e esperar o prazer cair do céu, mas sabemos que não é bem assim que a banda toca. Temos sim que buscar não só dar prazer a nós mesmos como também para o (a) parceiro (a).

Há muitas formas disso acontecer e uma delas é através do Sexo Tântrico. Talvez você já tenha ouvido falar, mas dificilmente já tenha praticado.

Pra explicar pra vocês um pouco mais sobre isso eu falei com o Aldo Mendes. Ele que é terapeuta vibracional tântrico, com capacitação em disfunções sexuais, e que tem um espaço terapêutico, em Teresina, onde já realizou mais de 350 atendimentos (em homens e mulheres com mais de 18 anos).

Indicações do Tantra
Indicações do Tantra

“O Sexo Tântrico é direcionado para casais. Eles aprendem a arte do toque e a usar os sentidos; aprendem como alavancar a percepção e sensibilidade, estreitando os vínculos de companheirismo, amor e amizade. Desenvolvem também sua capacidade sensorial orgástica, pela tonificação dos músculos sexuais e expandem sua capacidade de experimentar e sustentar níveis mais elevados de prazer” explica Mendes.

O Aldo contou pra mim que, como qualquer outro assunto relacionado a sexo, o Tantra também sofre tabu ainda pela falta de informação. Ele diz que se houvesse mais o acesso a esse conteúdo ou se as pessoas se permitissem mais a conhecê-lo, não haveria tanto preconceito.

Aldo Mendes. Foto: Arquivo Pessoal
Aldo Mendes. Foto: Arquivo Pessoal

“Existe um prejulgamento muito forte e que leva as pessoas a comparar o verdadeiro Tantra que não tem conotação sexual com prostituição ou algo próximo a isso. Infelizmente pessoas mal intencionadas usam o nome Tantra de forma irresponsável”, conta.

Pra você ter uma noção, o Tantra surgiu na Índia há mais de cinco mil anos e chegou ao Brasil há 40 anos, mas ele está mais presente na rotina da população da região centro/sul do país, que se permite vivenciar a experiência. Afinal: por que práticá-lo?

Segundo o Aldo, a prática do Tantra traz os seguintes benefícios:

Mulheres:

Aprender a se relacionar com maior abertura e confiança, ser mais alegre e expansiva;

Conhecer os aspectos sensoriais do seu corpo e do corpo masculino, aprendendo a obter os melhores resultados que mobilizem o prazer e o orgasmo, com ressonância em si mesma;

Melhorar a sua performance e desenvolver novas habilidades no trato com a sexualidade;

Aprender como obter melhores e mais intensos orgasmos;

Descobrir novas perspectivas de Orgasmos: Orgasmos Secos, Múltiplos Orgasmos, Orgasmos de Corpo Inteiro;

Obter maior consciência corporal;

Despertar regiões sensoriais adormecidas; entre muitas outras.

Homens:

Conhecer os aspectos sensoriais do seu corpo e do corpo feminino, aprendendo a obter os melhores resultados que mobilizem o prazer e o orgasmo, com ressonância em si mesmo;

Melhorar a sua performance e desenvolver novas habilidades no trato com a sexualidade;

Curar a ejaculação precoce e/ou dificuldades com a ereção;

Conhecer métodos alternativos para a impotência;

Sensibilizar diversos grupamentos musculares em concomitância, amplificando a rede de músculos relacionadas com o orgasmo; entre outros.

Casais:

Trazer maior consciência corporal;

Conhecer aspectos da anatomia, a sua e a do (a) parceiro (a);

Despertar regiões sensoriais adormecidas;

Conectar a voz, a expressão, a comunicação e a respiração consciente às sensações que experimenta;

Reconhecer e controlar os estados de excitação, a fim de ajustar-se às experiências ou ao ritmo do (a) parceiro (a);

Mobilizar a energia em espiral ascendente, preparando o volume e a intensidade orgástica; entre outros.

Eita que foi preciso enumerar porque são tantos os benefícios rsrs

Mas então... Ficou curiosa (a) pra conhecer mais e quem sabe praticar com seu (ua) parceiro (a)!?

O Aldo conta que a, cada quatro meses, o centro inicia novas turmas de capacitação para novos terapeutas e que, apesar dos tabus, muita gente vem se permitindo fazer sessões de tantra, principalmente as MULHERES (somos fod*!).

“Os medos, os traumas, culpas, tabus e preconceitos atuam reprimindo o ser humano e não permitindo que ele viva plenamente. Tem toda uma responsabilidade porque atuamos com vidas e é fundamental que o terapeuta entenda de anatomia, fisiologia e bioeletricidade. Primeiramente é feito uma avaliação e de acordo com seu histórico são definidas quantas sessões serão necessárias. O tantra atua diretamente nesse contexto, de ajudar as pessoas a terem essa consciência e assim, adquirir novas sensações e percepções de expansão orgástica em seu corpo e mente”, diz.

É dica que você quer?

Claro que eu não ia acabar a postagem sem antes deixar umas dicazinhas básicas pra vocês sobre esse assunto maravilhoso. Dando uma pesquisada aqui essa lista * com atitudes simples para incorporar o tantra no dia a dia do casal, onde a a psicóloga clínica Judy Kuriansky, autora do livro “O Guia Completo do Sexo Tântrico” (Editora Madras), e os terapeutas corporais Gabriel Saananda e Roberta Jaloretto, do Espaço Companhia do Ser, ensinam os dez primeiros passos para iniciantes, que buscam novas experiências prazerosas.

CONFIRA:

1. Tempo e sincronia

Reserve pelo menos um dia na semana para praticar a massagem tantra com seu parceiro. O horário da manhã é recomendado, após uma boa noite de sono. Antes de começar, Judy Kuriansky recomenda: “É preciso que o casal esteja na mesma sintonia. Inspirar e expirar juntos até estarem no mesmo nível energético”, diz.

2. Explore o outro

A mulher pode começar aplicando a massagem no homem. A terapeuta Roberta Jaloretto aconselha: “Toque todo o corpo dele buscando levar sensibilidade para partes que geralmente ficam esquecidas. A ideia é sensibilizar ‘o todo’ por meio de toques suaves, trabalhando a pele com toques bem relaxantes”, diz.

3. Não tenha pressa

A massagem tântrica não combina com pressa nem pressão. É preciso saborear a experiência, o caminho, sem focar tanto na conclusão. Estar em posição de receber a massagem é especialmente benéfico para o homem, que aprende a controlar e prolongar o seu prazer. Ele deve ficar de meia hora até uma hora apenas curtindo os toques, sem ejacular. “É uma brincadeira que funciona como um treinamento”, ensina Gabriel Saanandra.

4. Deliciosos artifícios

Segundo Saanandra, você também pode utilizar as unhas, os cabelos ou um lenço de seda para fazer a massagem. “Isso faz com que a pele fique sensível e acorde – ele começa ficar arrepiado”. É recomendado utilizar texturas e brincar com as sensações de quente e frio; use a imaginação!

5. Inverta os papéis

O homem também deve massagear a mulher: são toques longos e circulares, que ligam duas partes do corpo – enquanto uma mão sobe, a outra desce: o ombro com o bumbum, os genitais com a barriga, as costas com o abdome. Existe uma grande variedade de óleos especiais para massagem. Mas, na falta de algum produto específico, você pode usar o hidratante que tiver em casa.

6. Respire, suspire...

A respiração é parte importante durante todo o processo. A inspiração deve ser profunda e a expiração bem relaxada. “Trazer energia para dentro e relaxar na hora de soltar o ar”, ressalta Saanandra. Durante o ato, gema, suspire, não tenha vergonha de expressar as sensações boas da massagem por meio de sons.

7. Olho no olho

Olhar nos olhos é uma prática básica do sexo tântrico. Judy Kuriansky recomenda olhar fixamente para a chama de uma vela por algum tempo para desenvolver a concentração necessária para intensas trocas de olhares. É recomendável praticar o exercício antes de dormir. Você também pode, ao invés de olhar, ser receptiva e receber o olhar do outro.

8. Crie rituais amorosos

Tomar banho juntos, vestir aquela roupa especial, escolher um perfume estimulante... Esses pequenos ritos preparam para uma troca de amor mais íntima. O ambiente deve estar totalmente limpo, com luz na medida. A roupa de cama pode ser especial para a ocasião e, para aumentar o conforto, disponha também algumas almofadas. Posicione objetos que simbolizem os quatro elementos: uma vela para o fogo, um líquido para a água, uma folha para o ar, uma flor para a terra.

9. Entenda a filosofia tantra

“Esse não é o sexo que as pessoas conhecem. O tantra busca ensinar e ajudar as pessoas a se excitarem com o afeto e não com o genital”, frisa Gabriel Saananda. A filosofia propõe uma maior conexão com o seu ser, expansão de consciência e percepção do corpo. “Dentro da terapia tântrica você vai aprender a lidar com suas sensações, a trazer intimidade para dentro da sua vida”. 

10. Ache sua turma e um terapeuta sério

Participar de workshops e vivências tântricas é uma boa pedida para os novatos no sexo tântrico. Existe uma variedade de treinamentos – em grupo, individuais, para casais, de longa ou curta duração – que variam de acordo com a filosofia de cada espaço. Como não há uma certificação e nem uma licenciatura em terapia tântrica, fique de olho na hora de escolher um profissional. O especialista tem que ser habilitado em técnicas de massagem, com especialização em tantra, e é essencial que você se sinta confortável com ele. O toque faz parte da terapia, mas não há sexo envolvido durante as sessões. “Com o terapeuta você vai desenvolver a confiança e a técnica para que carregue isso com você e possa aplicar no dia a dia”, explica Roberta.

* Créditos da lista: Blog Amor e Sexo/IG