Quem leva João Vicente a sério?

O ex-senador João Vicente já deu inúmeras provas de que esse seu projeto de sair candidato a governador não possui qualquer consistência mas mesmo assim prossegue agindo como se estivesse num picadeiro e não numa arena política, onde a corrida dos candidatos para viabilizarem suas candidaturas se dá num contexto bem objetivo. Sem espaço em outros partidos, JVC buscou retornar ao PTB com a condição sine qua non de não ser candidato – exceto na chapa governista –, aceitou mas não a está respeitando.

É constrangedor para o próprio PTB, que está pleiteando ao governador Wellington Dias a indicação da vaga de vice-governador, um integrante de seus quadros, no caso a principal figura, prosseguir numa articulação com vistas a uma candidatura ao governo sem delegação do partido. Sim, João Vicente está por conta própria nessa aventura quixotesca de candidatura criando embaraços para a cúpula petebista, que esta semana terá um encontro com o governador para tratar da aliança PT/PTB.

Por essa movimentação, João Vicente desrespeita até mesmo um acordo com as bancadas estadual e federal de que se filiaria ao PTB mas esqueceria essa idéia de candidatura própria mas não votaria em Wellington Dias. Não votar o governador é um direito seu, ninguém o obrigará a isso, mas insistir em sair candidato ao governo no instante em que o partido conversa com o governador joga por terra a confiança que o partido colocou nele para não se envolver no processo contra a estratégia definida.

A última do ex-senador foi reunir partidos sem estrutura em seu escritório para depois divulgar que pediu tempo para anunciar sua candidatura depois de receber o resultado de uma pesquisa de intenção de votos que encomendou. Ele omitiu o nome do instituto mas até onde se sabe são poucos os institutos em que se pode dar credibilidade aos seus resultados, principalmente aqueles que em 2014 apontavam que a disputa para o governo entre Dias e Zé Filho teria segundo turno.

Bom para João Vicente que ainda tem partidos políticos no Piauí que se dão ao trabalho de ouvi-lo falar de candidatura própria e de sua “disposição” de ser candidato a governador. Esses partidos – todos nanicos e a maioria sem qualquer estrutura – deveriam avaliar as próprias declarações passadas do ex-senador em que diz e repete que será candidato se a oposição se unir em torno do nome dele formando uma chapa única para a disputa do governo contra o governador Wellington Dias.

No atual estágio do processo eleitoral, a oposição nem dá ouvidos ao que diz João Vicente porque já não o leva mais a sério. O próprio candidato a governador Luciano Nunes e o ex-governador Wilson Martins são consciente de que o PTB jamais deixará o governo se aventurar com João Vicente numa candidatura. É duvidoso até mesmo acreditar que todos esses partidos que foram à reunião levam o ex-senador a sério. Pelo mesmo motivo. Daí se duvidar que daqui até as convenções, ele se lançará candidato.