Líder muda o tom do discurso, admite conversar sobre eleição da Mesa e outros assuntos com a base

Líder do governo muda o tom do discurso e prega "paz e amor".

A frase na camisa popular mostra muito bem o momento do discurso de
A frase na camisa popular mostra muito bem o momento do discurso de "Zezinho"

Profissionais que fazem a cobertura das sessões da Câmara Municipal de Timon presentes, hoje, 21, na sala de imprensa, populares na galeria e até os próprios vereadores estranharam o discurso do líder do prefeito Luciano Leitoa, vereador José Carlos Assunção (PSB), que saiu do seu personnalisé – habitual costume - em francês – para um discursso "Zezinho Paz e Amor", admitindo discutir com os 13 vereadores da base do governo sobre a eleição da Mesa Diretora e outros problemas que envolvem a perda de controle como liderança do grupo da base de Luciano Leitoa, na Câmara.

Zé Carlos Assunção disse não ter vaidade por cargos pois assim como exerceu a liderança da ex-prefeita Socorro Waquim em seu governo atendeu a convite também para ser o líder do governo do prefeito Luciano Leitoa, mas que naquele momento estava colocando em discussão, haja vista que sua liderança está sendo questionada, pelos próprios vereadores da base sua posição de líder. Ele citou entrevista do vereador Kaká do Frigosá (PSB), em emissora de rádio, que mesmo afirmando gozar de amizade do vereador entendia seu posicionamento e dúvidas sobre sua permanência na liderança como forma de atrapalhar ainda mais as relações dentro da bancada governista.

Alguns vereadores, liderados por Zé Carlos, se solidarizaram com o seu discurso e entenderam como gesto de humildade ele admitir que pode se afastar do cargo de lider, foi o caso de Coca do Matapasto (SD), que em aparte falou das qualidades que poucos pessoas conhecem do líder do prefeito.

Uilma é chamado de ditador e pede para blogueiro retirar postagem
Uilma é chamado de ditador e pede para blogueiro retirar postagem
Ditador e Censor

Com José Carlos atuando como bombeiro e não como incendiário, coube ao presidente Uilma Resende (PDT) partir para o ataque contra os opositores. Mas apesar de não citar nomes e deixar bem clara as referências, acusou o vereador líder oposição Anderson Pego (Sem Partido), de cometer crime de assédio moral contra os servidores da casa e citou o caso da filmagem que foi ao ar em 2012 no programa eleitoral, em Timon, afirmando ser a prática do oposicionista que disse ter gravado a diretora da Casa se negando a entregar documento a ele mesmo com o vereador apresentando requerimento.

Uilma também pediu ao blogueiro Ludwig Almeida para retirar de seu blog postagem em que ele explicita conversa atribuída a ele afirmando com o vereador Kaká do Frigosá de que "existem aliados que não são da confiança do prefeito". Uilma disse, em discurso que não teria dito isso e que se houvesse falado assumiria, como já fez outrora em mesma situação com o vereador Kaká.

O discurso do vereador Uilma foi questionado pelo vereador Tuá (PMN), que disse para que seja lido artigo em que diz que o presidente dispõe de tempo maior que os outros vereadores para fazer discurso.

O vereador Ramon Junior (PP) também levantou questionamento sobre o tempo disponível para o presidente se alongar em sua fala enquanto a maioria dos vereadores dispõe de somente quatro minutos para a fala em sessões plenárias. "O Senhor está agindo como ditador que usa o tempo que quer para ficar fazendo discurso na Casa", reclamou Ramun.

Em entrevista concedida com exclusividade ao blogdoribinha, Anderson Pêgo responde às acusações feitas pelo presidente da Casa. Clique e veja a entrevista.