A inspiradora história de uma menina de Teresina que agora vai dançar na Rússia

Caroline Machado dança faz 14 anos e agora vai dar um passo decisivo em sua vida de bailarina: vai compor a Companhia Primmariinsky, em Vladivostok, na Rússia – um país onde o balé clássico é uma paixão nacional. Tanto quanto ela, que resume sobre a dança: é o que amo fazer.

A dança entrou na vida de Caroline Machado quando ela tinha dez anos e ainda nem pensava em seguir a carreira de bailarina. Mas o encontro improvável deu-se em razão de um convênio mantido desde 2003 entre a Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Educação (Semec), e a Escola de Teatro Bolshoi, em Joinville, Santa Catarina.

Caroline chegou ao Bolshoi em 2004. Sete anos depois, em 2011, estava formada em um Curso Técnico Profissionalizante em Dança na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. A menina, que começou em um projeto social, só pensa em se destacar cada vez mais em sua carreira, apesar de algumas dificuldades.

“O Balé é minha vida. Não me vejo fazendo outra coisa além de dançar, mesmo sabendo que para se destacar precisamos treinar e se dedicar totalmente. Essa foi a profissão que escolhi. Só tenho a agradecer a oportunidade que me foi dada. Não sei como seria a minha vida se não tivesse ingressado no projeto através da parceria entre a Semec e Bolshoi. Minha vida é a dança. É o que amo fazer”, conta Carol, como gosta de ser chamada.

Caroline soma várias experiências profissionais desde sua conclusão na Escola de Teatro Bolshoi. Em 2011, quando concluiu o curso, passou a integrar o quadro da Companhia Jovem do Bolshoi, que funciona em Joinville. Em 2014 Caroline foi para os Estados Unidos com a Companhia Gelsey Kirkland Academy, onde trabalhou por um ano. Voltou para o Brasil em 2015, quando surgiu um contrato para trabalhar no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

“Comecei minha carreira quando fui escolhida entre os dez melhores alunos para integrar a Companhia Jovem do Bolshoi. É uma experiência importante, pois é uma companhia grande e muito conhecida. Passei por outras oportunidades e agora estou com grandes expectativas. Tudo dando certo na Rússia, vai ser uma porta para ir mais longe, como dançar na Europa. Meu sonho é dançar em grandes companhias”, destaca.

Caroline Machado, antes de ingressar na parceria, residia no bairro Parque Rodoviário, zona Sul de Teresina, e era aluna da Escola Municipal Monsenhor Mateus Rufino.

A jovem não tinha nenhuma experiência com dança, mas recebeu todo o apoio da família. “Meus pais me incentivaram em todos os momentos, me apoiaram bastante e me encorajaram a seguir em frente. Sou a filha mais velha. Mesmo passando a morar em outra cidade meus pais sempre estiveram ao meu lado”, conta.

Caroline conta ainda que recebeu apoio de todos que fazem parte da Semec enquanto morava na Casa Social. “Em Joinville eu morava com outros jovens na Casa Social, onde uma mãe social cuidava de todos. Nossa vida na Casa era como se fosse uma família grande, onde um ajudava o outro. Participávamos das aulas regulares na escola e de aulas de dança no Bolshoi, além de diversas outras atividades, como, aulas de música, tratamento de saúde e odontológico, tínhamos também os momentos de estudos e religiosos, além dos passeios e diversões. Foram momentos onde, às vezes, eu sentia saudades da família e ao mesmo tempo me divertia com os colegas da Casa”, conta.

Para finalizar, Carol conta dos momentos na escola Bolshoi. “Foram oito anos no Bolshoi, onde tive aulas com professores brasileiros e russos. A gente tem uma formação completa. O balé é o ponto principal, mas nos formamos também no contemporâneo, aprendemos sobre a história da dança, dos bailarinos e saímos prontos para atuar em várias áreas, seja como coreógrafo, professor de balé, músico e pianista, dentre outras formações. É uma formação difícil, não são todos que conseguem chegar até o fim”, conclui.

Como funciona o convênio

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), mantém desde 2003 a parceria com a Escola de Teatro Bolshoi no Brasil e já formou cinco bailarinos na primeira turma e que atuam no mercado de trabalho no Brasil e em outros países. Atualmente, são três bolsistas da Rede Municipal na faixa etária de 10 a 15 anos que foram selecionados. Os bolsistas residem em Joinville/SC e, assim como Caroline, estudarão durante oito anos, tempo de duração do curso técnico profissionalizante da Escola de Teatro Bolshoi no Brasil, única filial da escola russa que fica em Santa Catarina.

A Prefeitura mantém ainda, junto com os estudantes, uma mãe social, Eusilene da Rocha, também selecionada em processo especifico. Com formação pedagógica com especialização em Educação Infantil, a Professora Eusilene faz a gestão da Casa Social do Piauí, acompanha e mora com os alunos, que estudam em escola publica num turno e no outro na Escola de Teatro Bolshoi, onde adquirem formação em dança clássica, dança popular brasileira, dança a caráter, música, ginástica dente outras, com aulas de segunda a sexta-feira, com profissionais russos, ucranianos e brasileiros.

Além da preparação artística, os piauienses recebem benefícios como transporte, uniformes, figurinos, atendimento médico e fisioterápico. Em contrapartida, devem apresentar bom rendimento na Escola Bolshoi e na Escola da Rede Pública de Joinville, pois a ausência de boas notas implica na perda da bolsa.
(Com informações da Prefeitura de Teresina)